Ventos, brisas, sinceridades.

Depois de todas as tempestuosas reviravoltas da vida, observa-se uma recorrente brisa. Diante do maremoto que se passara, com certeza o que estava sendo vivenciado não se comparava àquela dor. Mesmo assim o coração daquela doce garotinha, recordava-se de seus passos de dança. Ela desejava mais do que tudo, voltar a rodopiar pelos salões do … Continue lendo Ventos, brisas, sinceridades.

Anúncios

Exterminate.

Ser parte de algo, ou algo fazer parte do ser. Não saber a qual acaso pertencer, mesmo se tudo não for parte do acaso, e sim uma realidade distinta. Escondida por dentre as linhas, aprender a conhecer, escutar as cores, visualizar os sabores, vivenciar as desventuras. Crescer nos contratempos, dançar conforme os tamborins. Entender que … Continue lendo Exterminate.

Vamos nos afundar no carpete.

Enquanto o resto do mundo desaparece. Vamos deitar sem pressa de levantar, olhando as falhas no forro, contando as teias de aranha que caem sobre os móveis. E por vezes, adormecer. Sentindo que o chão encontrava-se duro demais para permanecer na posição de exploradores. Entretanto, o simples fato de não ter nada o que fazer … Continue lendo Vamos nos afundar no carpete.

Você tem algumas escolhas.

Com o passar dos anos, aprendi que muito do que as pessoas ao meu redor viviam, estava completamente conectado ao meu modo de viver também. Hoje, portanto, inicia-se uma série de posts, que não estou escrevendo somente por palavras vazias, mas sim, para trazer a memória, histórias que porventura se perderam nesse meio tempo. Para … Continue lendo Você tem algumas escolhas.