Is a Verb.

Love.

Life makes your own dance (29)Por diversas situações, o amor na sua forma mais intensa e terna, parece ter retomado o controle da simples, contudo complicada vida. Naquele entremeio, a jovem corria com medo. Medo de errar, medo de sorrir, medo de aprender com suas próprias falhas. As decisões que outrora pareciam fáceis, não apresentam sua melhor face. Ela queria voltar a sonhar. Onde a utópica sensação de que tudo daria certo a envolveria, e no mínimo seria seu colo.

Ela não conseguia enxergar sequer um palmo adiante. E achava, que tatear seus movimentos, a ajudaria a não ser uma completa apática.

Ele não compreendia que seu retorno suscitaria esse maremoto. Eles sentiam falta um do outro. Daquelas tardes nas livrarias e cafés, daquelas viagens sem razão, mas que faziam parte de um plano maior. Na realidade, toda aquela encenação era parte do grande quadro.

Voltando a Rocketown. Voltando aos Demais Sussurros.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s