Ninguém. Não resta ninguém. É um silêncio, ao redor de uma brisa cortante de outono. Dizem que vai ficar tudo bem, porém ao ouvir passos distantes de mim, me desespero.
Fora minha última chance, de mostrar que eu podia ser alguém especial. Mas fracassei, reprovei, fui insultada, e descartada.
Era mais uma maré de sentimentos que invadiam meu espaço de tempo.
Mais uma carta sem destinatário, que retornaria ao meu correio após alguns dias.
Havia uma esperança. Eu tentei, mas nada do que fiz foi válido.
Eu só queria ter tempo, 5 minutinhos apenas. Para lhe dizer, o quão grande é meu amor por ti.
em lágrimas, sussurros, e vírus de gripe espalhados por esse computador.
Dou adeus, a mais uma ferida que cicatrizara.
E tranco as portas em direção a esse lado do muro. Só falta mais um passo, para o impedimento de qualquer sentimento.

Fria, medrosa,

Mais uma Cinderella com os pés inchados, e os sapatinhos sem encanto, pois encontro-me impossibilitada de colocá-los em seu devido lugar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s