. Para aqueles que esperam .

Ultimamente, venho passando por uma fase de minha vida, confusa. A Chamada adolescência. O mais estranho disso, é que não tenho crises que qualquer adolescente “normal” teria. Tenho crises profundas, onde posso ler e reler coisas sobre mártires da idade média, ou ouvir músicas clássicas. Posso contar histórias, das mais variadas, em torno de um mesmo aspecto social. Me sinto solitária, cansada, e sem forças nenhuma pra lutar. Da pessoa que sonhara em ser alguém, eu estou me estagnando num ninguém.

As pessoas notaram. Viram minhas três fases, a da desconfiança de que eu era um ninguém. A da fuga da vida, e por fim a certeza, de que nada do que eu fizesse teria significado. Eu, por fim, acordava todos os dias, com os olhos inchados, as vezes chorando sem saber o motivo. Eu sabia que minha maior preocupação estava em torno da falta do que se fixar, se focar. Eu permanecia numa redoma de vidro, onde somente os cientistas que me estudavam tinham acesso a essa “pesquisa”. Me transformei num ser sem gosto, sem razão.

Nessas horas, atribuo minha carência afetiva, minhas palavras sem nexo, minha falta de esperança à falta de conversas com o meu criador. Eu conversava com ele, e parecia-me que tudo era a reverberação, um eco infindável, só repetições de minhas palavras. Cada vez isso me tornava mais dependente de algo em que me apoiar. Eu sofria, por não ter nada para sofrer. Com isso adquiri uma maturidade a qual eu chamo de “forçada”. Esses dias, conversando com um psicólogo amigo meu, fiz um teste, só pra checar se minha idade mental condizia com minhas condições de idade física. Tenho 24 anos no meu cérebro, nos meus atos, nos meus sofrimentos, nas minha decisões. E apenas 16 na minha certidão de nascimento. Estranho? Sim, eu começo a pensar no quanto isso é estranho. Tem sim, seus lados positivos. Dentre eles, minha capacidade absurda de conversar com pessoas mais “maduras” de igual postura. Já seus aspectos negativos, é a minha solidão. Já que na sua maioria, as pessoas que convivem comigo no colégio, na igreja, ou em outros locais, têm idade igual, ou inferior a minha. Ou seja, minha linha de raciocínio não segue a deles. E só eu que não via isso. Pois me tratavam como uma estrangeira, uma desconhecida, uma desconexa do mundo onde eles viviam.

Sofri demais, por não conseguir compreender que meu tempo não é o mesmo tic tac do relógio. Lutei contra minha vontade, pra seguir somente ao melhor plano. E cá estou. Após todas as possíveis quedas de minha’lma. Realmente minha mudança está sujeita aos fatos. Vamos nos ater a você, um leitor. O que precisaria saber pra sentir toda a minha bagagem? Eu passava meu peso com muita facilidade as pessoas, o que faria um sentimento de culpa e vontade de ajudar brotar dentro de cada um. Infelizmente essa ERA minha natureza. Estou lutando com todas as forças que Ele me deu pra vencer essa circunstância, mas é difícil e dói demais.

Eu espero pelo sol, que ele irradie todas as manhãs. Sendo mesmo um dia frio. Mas o sol me motiva a sorrir.

Espero pelo luar. E por toda aquela luz no meio de poucos pontos luminosos que essa metrópole me faz enxergar.

Espero pelo vento. Que ele bagunce meus cabelos enquanto eu viajo. Enquanto eu cante um trecho de uma música qualquer. Que esse vento faça minhas palavras serem espalhadas, de norte a sul. De leste a oeste.

Espero pelo amor. Que ele olhe nos meus olhos, e diga que vai até os confins da terra, não à minha frente, porém lado a lado. Espero ele com um certo receio de que ele não apareça. Mas se confiar ele, à ELE, sei que em breve (espero que em breve mesmo) uma pessoa conquistará minha família ao ponto de se tornar um de nós. É difícil, volto a repetir. Mas lhe amo, sem saber seu nome.

Espero pela hora. Hora onde poderei agir. Espero pelo dia, dia em que irei sorrir novamente, sem falsidade. Espero, enquanto vejo o mundo girar.

# For those who Wait #

Anúncios

3 comentários em “. Para aqueles que esperam .

  1. Isso é o reflexo do que muita gente passa, mais não tem coragem de falar.
    Viver é dificil e acho que ser feliz de verdade não é totalmente gratuito precisa de um tempo na escola, que usa a dor como aprendizado, que como disse: “Forçado”

    Parabéns mtd.
    A música é linda.

    Curtir

  2. “Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas”
    (Provérbios 3:5-6)
    Linda a música!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s