. eu posso, não posso .

O ser humano é uma relatividade por si só. Não seriam necessários grandes filósofos , não seria necessário um salvador pra vida pessoal de cada um. Não seria um jogo caso todos fosse robôs que saem em obediência a uma só pessoa. O mundo gira em torno da vida de cada um, e por isso ele está esse caos.

Eu posso, sair por aí, me divertir, fazer grandes amizades, e depois jogá-las fora. Posso magoar a quem eu bem entender, posso jogar papel no chão e esperar ele se decompor. Posso chorar, posso sorrir, posso me imaginar aqui e acolá. E com isso o que eu ganho? Uma satisfação momentânea, talvez.

Eu não posso, pensar nos outros. Muitos menos doar minha vida em favor de quem precisa. De compaixão ninguém precisa, correto?

NÃO! Essas “teorias” sem fundamento que nossa geração criou de viver em torno do nosso próprio interesse, transformou o mundo nessa grande bagunça que temos aqui. Falam mal dos treinadores de grande seleções, falam do médico, da enfermeira que não deu comida quentinha pro paciente. Falam das famílias, falam dos namorados, falam dos amigos.  Falam das bandas, da moda, do tempo. E constante reclamação ecoa sobre os ouvidos de muita gente, que também precisa desabafar.  Até quando pais vão abandonar seus filhos, pra ir curtir suas próprias vidas? Até quando uma criança vai ficar a margem de uma sociedade que as usa como mão de obra, ou como uma “pequena diversão”? Gostaria de dizer a mim mesma que um dia isso vai se acabar. Mas se a tecnologia já chegou a um ponto onde temos a possibilidade de vivermos em outros planetas, sendo mal administradores do nosso próprio. Vamos sair de galáxia em galáxia destruindo todos os patrimônios, transformando o universo todo numa tremenda catástrofe.  E me resta saber, onde eu, meus filhos, meus netos,  minha futura geração se encaixará. Talvez como desbravadores do novo mundo, ou talvez, como a minoria (e assim espero) dos que pretendem viver uma vida justa, tanto pra eles, quanto pras pessoas ao seu redor.

Tentando entender a complexidade dos fatos, onde cheguei ao mero acaso de descobrir, me sinto cada vez mais abandonada em meus próprios meios de agir, e pensar. O Mundo precisa URGENTE de mudanças, e essas mudanças começam por mim, por você, e por todos à que sorrimos, e queremos o bem.

Anúncios

3 comentários em “. eu posso, não posso .

  1. débora, muito lindo seu blog, sério . concordo totalmente contigo ; o ser humano precisa aprender que os outros também são tão importantes quanto ele, se não mais ! seus posts me inspiram (:

    Curtir

  2. É triste e improvável que se faça ordem partindo do caos. Mas é ótimo saber que existe pessoas tão inabalavelmente otimista como você, como eu. Devemos ajeitar parte por parte desse caos, até que tudo fique devidamente alinhado.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s